quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Eu tenho um chamado Missionário?

Se você um dia recebeu a Cristo como Senhor e vive uma vida que mostra os frutos de uma verdadeira conversão, então a sua resposta é
SIM.

Oswaldo Prado, missionário da SEPAL, traz com muita clareza em seu livro"Do Chamado ao Campo" uma excelente definição  do que classicamente ouvimos falar sobre 'chamado missionário, mostrando assim duas diferenças fundamentais:

Chamado: "O chamado de Deus tem mais haver com a convicção íntima e crescente baseados na Palavra de Deus e confirmada pelo Espírito de Deus ao nosso espírito. Este chamado recebe também a aprovação e confirmação pelo corpo de Cristo, Sua Igreja. Uma vez que todos os cristão são chamados a testemunhar, temos então todos um ‘chamado’ inerente à Palavra de Deus e respaldada pelo Espírito Santo em nós. Destes, Deus pode separar alguns para o ministério integral e/ou parcial, o qual damos o nome de chamado ministerial: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres"

Direcionamento: "O que aconteceu com Paulo (apóstolo) e sua travessia à Macedônia não foi um chamado, mas uma direção de Deus. O mesmo aconteceu com Jonas (profeta) . Esta direção pode ser chamada também de comissionamento específico ou tarefa a ser executada, neste caso não por todos, mas por alguns."


Na carta da Paulo aos Efésios cap.4 o apóstolo e missionário Paulo traz  uma ótima definição da manifestação dos dons ministeriais distribuídos na igreja

v.1- “... vivam de maneira digna da vocação que receberam.”
Que vocação é esta? O chamado para servir Jesus e ampliar o Seu Reino aqui na terra. Surge na conversão e é progressiva, do ponto de vista do entendimento, clareza e definição.
‘receberam’... de quem? Do Senhor Jesus, quem chama, capacita, supre e envia.

Chamado Ministerial

v.11- “Ele designou alguns para...” – pensando de maneira missiológica:

Apóstolos: pioneiros, desbravadores. Plantam igrejas e as supervisiona de perto e de longe.
Profetas: trazem discernimento da voz de Deus e de Sua Palavra: Santidade, oração.
Evangelistas: discipulado – um a um. Levam da conversão ao batismos e à maturidade cristã.
Pastores: cuidam das ovelhas. Assistem as igrejas que foram plantadas
Mestres: profundidade na Palavra. Treinamento de líderes autóctones.
* a maioria das pessoas trazem no seu chamado características de mais de um ministério, mas um normalmente se destaca.

A manifestação bíblica dos Cinco Ministérios servem para:

v.12 – “... preparar os santos... para que o corpo de Cristo seja edificado. “ – Traduzimos para o Reino de Cristo na terra.
v.13- “atingindo a medida da plenitude de Cristo” –

E trabalharmos missionariamente para ver o eterno propósito de Deus se cumprindo em nossa geração:
"Uma família de muitos filhos semelhantes ao Seu filho Jesus."
Paulo ainda escrevendo para o seu filho na fé Timóteo diz:

“[DEUS] deseja que todos os homens sejam salvos...”2 Tm. 2:4


Conclusão: A obra missionária não é um evento do calendário da Igreja. Missões é uma tarefa individual e pessoal, que compõe o coletivo que chamamos de ‘Igreja’. Missões é baseado no segundo mandamento, respaldado por Jesus: O primeiro ( adoração)  é amar a Deus sobre todas as coisas e o segundo ( missões) e amar ao próximo como a nós mesmos; ou melhor, como Cristo nos amou. E Ele nos amou até o fim.

Ef.4.16- “todo o corpo ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas.... na medida que cada parte realiza a sua função”

Qual tem sido então a sua função?

E lembre-se: Seja um missionário onde você está. Testemunhe o amor de Cristo em todas as oportunidades, até a volta de Jesus.

Abraço missionário,

Sadler Lopes
Fonte: Blog IBREMAI

0 comentários:

Postar um comentário

Siga-nos

Contato rápido

Nome

E-mail *

Mensagem *

Parceiros

Tecnologia do Blogger.