terça-feira, 3 de novembro de 2015

Pensando no futuro de cada criança

02_Colombia_ 0280100651

É frio em Bogotá, capital da Colômbia. Em um simples restaurante nos reunimos com Ferney e amigos. Ele passou mais de três anos Casa Abrigo Visão Ágape e terminou a escola em 2013. Sua família pertence a uma das minorias étnicas do país. Quando seus pais se converteram a Cristo, a família foi expulsa da aldeia que moravam. Eles foram forçados a se deslocar de um lugar para outro, e nesse período ele quase nunca frequentou a escola. Escolas rurais da Colômbia geralmente permanecem em muito mau estado. David* lembra um de seus professores vinha à aula regularmente bêbado. Sofia* nos diz que a maioria dos professores não se importava se os alunos aprendiam de verdade. Frequentemente os professores eram violentos e a verdadeira autoridade nas escolas eram as guerrilhas.

Filhos de pastores e líderes cristãos são os alvos preferenciais dos grupos guerrilheiros. Mas, muitos deles foram para o Casa Ágape voltada às crianças em perigo por causa de sua fé cristã e também para as crianças ameaçadas pela guerrilha e grupos paramilitares. Oferecendo assistência integral, alimentação, moradia, saúde, ensino e educação cristã, baseada em preceitos bíblicos. Permitindo que seus pais, muitos deles líderes cristãos em regiões perigosas da Colômbia, se concentrassem em trabalhar para o Reino.

Os professores não se preocupam somente com sucesso acadêmico dos alunos, mas também com o desenvolvimento espiritual e pessoal. "Eles eram modelos reais. Nossos professores foram pais que eu nunca tive", diz Sofia, órfã aos oito anos de idade, quando a guerrilha matou seus pais, enquanto eles treinavam para ser pastores. Um curso chamado "Meu projeto de vida" foi criado especialmente para os jovens. Nele, os alunos foram desafiados a lidar com suas habilidades e talentos, a fim de descobrir seus objetivos a longo prazo. David explica: "Quando entrei no Centro, eu estava perdido. Foi ali que eu aprendi a ganhar uma perspectiva sobre a minha própria vida ".

Durante seus anos no Centro, Ferney descobriu sua afeição por Tecnologia da Informação (TI). Ele estuda TI agora na Universidade de Bogotá e serve em tempo parcial como o especialista em TI da Portas Abertas Colômbia. David estuda linguística e aplica suas habilidades diretamente no Centro como tutor dos alunos. Santiago, um outro ex-aluno, acredita que sua entrada no Centro não foi uma coincidência, mas uma sábia provisão de Deus. Ele acrescenta com determinação: "caso contrário, eu jamais seria alguém".

Os ex-alunos da Casa, anteriormente sem perspectiva, traumatizados e com medo, têm se tornado jovens confiantes e ativos na área que escolheram. Corajosamente falam sobre Jesus a outros jovens - seguindo assim os passos de seus pais. Eles são gratos e se sentem privilegiados. Seu maior desejo é que o Centro se torne um campo de treinamento para muitas outras crianças cristãs que atualmente sofrem perseguição.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: PortasAbertas

0 comentários:

Postar um comentário

Siga-nos

Contato rápido

Nome

E-mail *

Mensagem *

Parceiros

Tecnologia do Blogger.